A ansiedade que antecede ao momento de criar

* A diminuição súbita (geral) da energia de um sistema e todas as funções que dele dependem;
* O propalado "efeito dominó" e sua condição mais extrema: o colapso;
* A debilidade repentina das ações, adinamia de ritmo, queda do poder e forças, um momento ômega.

Scribere
Faço dos sinais gráficos, que conheço, os meus representantes. Desembaraçando os caracteres, leio-os, de viva voz. Minha expressão é redigida em linhas incompletas de palavras. A composição de letras dirigidas para registrar meu sonho literário. Escrevo, porque amo.


LuhanaSP

domingo, 24 de outubro de 2010

A arte repudia a guerra


Guernica de Pablo Picasso

Na guerra os opositores serão chamados de inimigos, numa tentativa de justificar atos de intolerância, afrontando a razão e tudo aquilo que acreditamos ser atributos da humanidade.

Uma luta sectária que nos divide em nações, bandeiras, territórios, etnias, ideologias e religiões, contrariando a nossa essência e ultrajando a nossa história.

A "baixa" de pessoas é relativizada e inerente ao processo, um pressuposto para conduzir um exército em campanha.

O preço que se paga pelo combate ao "mal maior" é financiado por interesses econômicos e lavado com o sangue de desconhecidos.

Combatentes que executam ordens superiores, designados a marchar sobre os corpos daqueles que um dia tiveram esperança, família, sonhos e uma vida. Pessoas iguais, com os mesmos direitos.

A irreflexão armada semeia fome, doença e desolação.

A Declaração Universal dos Direitos Humanos, assinada em 1948, deveria ter um novo preâmbulo: a partir de hoje, não será mais aceita qualquer declaração de guerra e as nações serão unidas.

Descobri a minha vocação pacifista.

...

Mahatma Gandhi quis nos mostrar que a paz é o verdadeiro motivo para condecorações.

"Acredito na essencial unidade do homem, e portanto na unidade de todo o que vive. Desse modo, se um homem progredir espiritualmente, o mundo inteiro progride com ele, e se um homem cai, o mundo inteiro cai em igual medida."


...

A Assembléia Geral proclama a presente Declaração Universal dos Direitos Humanos

como o ideal comum a ser atingido por todos os povos e todas as nações, com o objetivo de que cada indivíduo e cada órgão da sociedade, tendo sempre em mente esta Declaração, se esforce, através do ensino e da educação, por promover o respeito a esses direitos e liberdades, e, pela adoção de medidas progressivas de caráter nacional e internacional, por assegurar o seu reconhecimento e a sua observância universal e efetiva, tanto entre os povos dos próprios Estados-Membros, quanto entre os povos dos territórios sob sua jurisdição.

Artigo I.
Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotados de razão e consciência e devem agir em relação uns aos outros com espírito de fraternidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aprecie sem moderação