A ansiedade que antecede ao momento de criar

* A diminuição súbita (geral) da energia de um sistema e todas as funções que dele dependem;
* O propalado "efeito dominó" e sua condição mais extrema: o colapso;
* A debilidade repentina das ações, adinamia de ritmo, queda do poder e forças, um momento ômega.

Scribere
Faço dos sinais gráficos, que conheço, os meus representantes. Desembaraçando os caracteres, leio-os, de viva voz. Minha expressão é redigida em linhas incompletas de palavras. A composição de letras dirigidas para registrar meu sonho literário. Escrevo, porque amo.


LuhanaSP

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Placebo

Meus versos caem na vala,
Riscam dos olhos o lido papel,
Saem das bocas grilhadas,

Entre dentes, lêem-se palavras.
Repercutem no tempo,
Calando a sensação do tato,
Acodem, quando sinto dor.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Micropoemas & Microcontos


De uma inspiração homeopática, o fornecimento de doses extremamente pequenas pretende alcançar o método mais natural possível. O estímulo reativo em linha reta, de dentro para fora. Bem simples: é a diluição sucessiva da substância, ou potencialização da essência.

Comecei a usar a fórmula do micropoema e microconto, rendida pelo poder de síntese e "flashes" de uma idéia. A euforia, de usuária iniciante, cativou-me em vício.

Fiz algumas pesquisas, o microconto mais famoso é do escritor guatemalteco Augusto Monterroso: 'Cuando despertó, el dinosaurio todavia estaba allí'.

Julio Cortázar, teve uma iluminada inspiração e definiu: "o conto, como a foto, recorta um fragmento bem preciso e delimitado da realidade e, no entanto, deve fazer com que este fragmento tenha o poder de oferecer uma espécie de explosão que transcenda, rompa os limites da câmera, do texto."

Essa abertura, que sempre buscamos, da sensibilidade e inteligência para além do episódio narrado literariamente, evoluí na forma e no ritmo. Aspiramos.

Contos e poemas extremamente curtos, testam a habilidade de delimitação. O exercício de dobrar um pequeno regalo e transformá-lo em pílula, para que ele possa ser consumido (ou consulido).

Por ocasião da Fliporto 2010 - Festa Literária Internacional de Pernambuco, inscrevi meus micropoemas no prêmio TOC 140 (poesia no twitter). Ei-los:

Peguei meu coração!/Pinçando um sentimento estranho/Seria o amor?/Acordei pulsando.

Feliz Aniversário/Começa mais um ano/São braçadas no aquário?/Ou, enfrentar o oceano?

TOC, TOC,TOC/Transtorno obsessivo compulsivo/Quero ver o mundo com os teus olhos/Troca de óculos comigo?
* Este merece uma menção especial, porque foi o quinto colocado (entre os dez selecionados para a final) e recebeu 53.439 votos. Obrigada!
Uma gota mergulhou no mar/Perdeu-se na plenitude do oceano/Era a gota que faltava/Maré alta.

Um aceno e adeus/A infância é Sol poente/Lembro dos amigos meus/férias de antigamente.

Crianças, libertem os animais/A macaca está cansada/Deixem-na em paz/Sofrimento não é circo/Contem aos seus pais.

Brutalidade cruel/Indigência real/Homem animal/Realidade brutal/Crueldade animal/Homem indigente.

Uma gota de saliva/Teste de DNA/Tu és filho de Deus/Tua lábia é Divina.

Bagunça completa/De tudo/Me perco/Me acho/Inseguro.

Achado não é perdido/Guardado e esquecido/Teu coração mofado/Eu mereci partido.

Sinto-me como a luz de uma vela/Acesa começa a morrer/Chama, grita, clama e berra/Sonhando ascender.

www.fliporto.net/premiotoc140.html

sábado, 20 de novembro de 2010

Machado me abriu os olhos

"Eu gosto de catar o mínimo e o escondido. Onde ninguém mete o nariz, aí entra o meu, com a curiosidade estreita e aguda que descobre o encoberto."

Machado de Assis, "A semana", Gazeta de Notícias, 11/11/1900.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Lua bonita

Foto: Danilo A Freitas

A lua é nosso satélite natural, mas, nas noites de enluarada inspiração, somos nós que orbitamos no seu mistério.


Lua bonita,
Se tu não fosses casada
Eu preparava uma escada
Pra ir no céu te buscar
Se tu colasse teu frio com meu calor
Eu pedia ao nosso senhor
Pra contigo me casar
Lua bonita
Me faz aborrecimento
Ver São Jorge no jumento
Pisando no teu clarão
Pra que cassaste com um homem tão sisudo
Que come dorme faz tudo, dentro do seu coração?
Lua Bonita, Meu São Jorge é teu senhor,
E é por isso que ele vive pisando teu esplendor
Lua Bonita se tu ouvisses meus conselhos
Vai ouvir pois sou alheio,
Quem te fala é meu amor
Deixa São Jorge no seu jubaio amuntado
E vem cá para o meu lado
Pra gente viver sem dor.

Lua Bonita - Raul Seixas
Composição: Zé do Norte / Zé Martins

domingo, 7 de novembro de 2010

Your song

A língua pátria é a referência mais marcante da identidade cultural, "a expressão da consciência de uma coletividade". Por isso, a evidência da linguagem, está diretamente ligada a estrutura da sociedade a que integra.

O nosso idioma tem veleidades que passam despercebidas, capazes de alterar significativamente o objetivo de uma mensagem.

A forma de transmitir um sentimento depende da língua para atingir os outros sentidos. Na contribuição imortal de Fernando Pessoa: “A minha pátria é a língua portuguesa.”

Não raro, utilizamos da tradução e versão de músicas, poemas, peças e demais textos para captar os diversos sentimentos - universais em todas as línguas - em suas nuances próprias.

O verdadeiro objetivo é a comunicação. Comunicar um sentimento é, antes de tudo, o pulsar de um coração, ou vários, ou muitos. Mas, o efeito uníssono tem uma complexidade adicional: o pleno domínio da língua.

Sejamos mais tolerantes com as versões que povoam o inconsciente coletivo, para a polinização do entendimento. Popularizar, em última análise é compartilhar.

...

Version in Portuguese:

Eu queria te dar o céu e o mar,

Mas como eu não posso,

Só posso dar, algo tão simples

E que eu fiz para você.

Eis, seu presente é esta canção,

Feita para tocar o seu coração.

Não vale chorar,

Não vale chorar, quando você me ouvir,

Fiz tudo isso para você sorrir.

...
Your song
Elton John / Bernie Taupin

It's a little bit funny this feeling inside

I'm not one of those who can easily hide

I don't have much money but boy if I did

I'd buy a big house where we both could live

If I was a sculptor, but then again, no

Or a man who makes potions in a travelling show

I know it's not much but it's the best I can do

My gift is my song and this one's for you

And you can tell everybody this is your song

It may be quite simple but now that it's done

I hope you don't mind

I hope you don't mind that I put down in words

How wonderful life is while you're in the world

sábado, 6 de novembro de 2010

Momento biográfico

As definições me assaltam com a urgência da juventude. Entretanto, já considero, no ciclo das estações etárias, é-me chegado o outono. Posto que a transição do verão para o inverno, se faz sentir.

Passo a escrever mais, buscando a plenitude das palavras e o aconchego aveludado da cognição.

Vivo o momento das aspirações artísticas e proclamo, dentro de mim, a liberdade da minha expressão.

Internauta principiante; blogueira entusiasta; e escritora amadora, empírica e artesanal.

O amadorismo de quem ama e adora este laborátorio de idéias frenéticas, instantâneas, como Nissin Miojo - as sinapses, que não me deixam engordar.