A ansiedade que antecede ao momento de criar

* A diminuição súbita (geral) da energia de um sistema e todas as funções que dele dependem;
* O propalado "efeito dominó" e sua condição mais extrema: o colapso;
* A debilidade repentina das ações, adinamia de ritmo, queda do poder e forças, um momento ômega.

Scribere
Faço dos sinais gráficos, que conheço, os meus representantes. Desembaraçando os caracteres, leio-os, de viva voz. Minha expressão é redigida em linhas incompletas de palavras. A composição de letras dirigidas para registrar meu sonho literário. Escrevo, porque amo.


LuhanaSP

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Micropoemas & Microcontos


De uma inspiração homeopática, o fornecimento de doses extremamente pequenas pretende alcançar o método mais natural possível. O estímulo reativo em linha reta, de dentro para fora. Bem simples: é a diluição sucessiva da substância, ou potencialização da essência.

Comecei a usar a fórmula do micropoema e microconto, rendida pelo poder de síntese e "flashes" de uma idéia. A euforia, de usuária iniciante, cativou-me em vício.

Fiz algumas pesquisas, o microconto mais famoso é do escritor guatemalteco Augusto Monterroso: 'Cuando despertó, el dinosaurio todavia estaba allí'.

Julio Cortázar, teve uma iluminada inspiração e definiu: "o conto, como a foto, recorta um fragmento bem preciso e delimitado da realidade e, no entanto, deve fazer com que este fragmento tenha o poder de oferecer uma espécie de explosão que transcenda, rompa os limites da câmera, do texto."

Essa abertura, que sempre buscamos, da sensibilidade e inteligência para além do episódio narrado literariamente, evoluí na forma e no ritmo. Aspiramos.

Contos e poemas extremamente curtos, testam a habilidade de delimitação. O exercício de dobrar um pequeno regalo e transformá-lo em pílula, para que ele possa ser consumido (ou consulido).

Por ocasião da Fliporto 2010 - Festa Literária Internacional de Pernambuco, inscrevi meus micropoemas no prêmio TOC 140 (poesia no twitter). Ei-los:

Peguei meu coração!/Pinçando um sentimento estranho/Seria o amor?/Acordei pulsando.

Feliz Aniversário/Começa mais um ano/São braçadas no aquário?/Ou, enfrentar o oceano?

TOC, TOC,TOC/Transtorno obsessivo compulsivo/Quero ver o mundo com os teus olhos/Troca de óculos comigo?
* Este merece uma menção especial, porque foi o quinto colocado (entre os dez selecionados para a final) e recebeu 53.439 votos. Obrigada!
Uma gota mergulhou no mar/Perdeu-se na plenitude do oceano/Era a gota que faltava/Maré alta.

Um aceno e adeus/A infância é Sol poente/Lembro dos amigos meus/férias de antigamente.

Crianças, libertem os animais/A macaca está cansada/Deixem-na em paz/Sofrimento não é circo/Contem aos seus pais.

Brutalidade cruel/Indigência real/Homem animal/Realidade brutal/Crueldade animal/Homem indigente.

Uma gota de saliva/Teste de DNA/Tu és filho de Deus/Tua lábia é Divina.

Bagunça completa/De tudo/Me perco/Me acho/Inseguro.

Achado não é perdido/Guardado e esquecido/Teu coração mofado/Eu mereci partido.

Sinto-me como a luz de uma vela/Acesa começa a morrer/Chama, grita, clama e berra/Sonhando ascender.

www.fliporto.net/premiotoc140.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aprecie sem moderação