A ansiedade que antecede ao momento de criar

* A diminuição súbita (geral) da energia de um sistema e todas as funções que dele dependem;
* O propalado "efeito dominó" e sua condição mais extrema: o colapso;
* A debilidade repentina das ações, adinamia de ritmo, queda do poder e forças, um momento ômega.

Scribere
Faço dos sinais gráficos, que conheço, os meus representantes. Desembaraçando os caracteres, leio-os, de viva voz. Minha expressão é redigida em linhas incompletas de palavras. A composição de letras dirigidas para registrar meu sonho literário. Escrevo, porque amo.


LuhanaSP

terça-feira, 22 de março de 2011

O nascimento da poesia


Imagem: "Sunrise by the Ocean" - de Vladmir Kush
Fonte:
http://obviousmag.org/archives/2007/09/vladimir_kush_s.html



Ao nascer, concretiza-se a geração. É o surgimento, um começo rascunho, que se faz arte e reformula e reinventa, experimenta sem querer o final. A pretensão original: ser o princípio do porvir. A procedência dos sentidos que aparecem instantâneos, institintivos e inatos.

A concepção produzida, realizada e parida e, por isso mesmo, cheia de expectativa a criar e conduzir. O ponto de convergência e também de expansão.

O processo de encolhimento, que a retração prepara, comprime todas as coisas que se deseja integrar. A fusão de sentimentos combinados às palavras, dilatam o momento e expõem a intenção. Neste trabalho de parto deixamos vir ao Sol. A atividade interna é intensa e revela traços do ser, na qual atua.

A recém-nascida poesia precisa ser carregada no colo e abraçada, nos primeiros minutos de vida, para ter forças e seguir com seus tíbios passos, ou, rompantes velocistas.

#POESIA #POESIA #POESIA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aprecie sem moderação